Blog

Dicas, artigos e muito mais

Acessibilidade: como implantar na minha empresa

A acessibilidade traz valores de diversidade e de inclusão para as empresas, além de contribuir para melhorar a reputação e gerar mais oportunidade de negócio. A preocupação com esse tema está aumentando e um dos grandes motivos para isso é a legislação.

Nesse post, vamos tratar da importância da acessibilidade para uma empresa e em maneiras de implementá-la. Leia até o final e saiba mais sobre o tema.

Legislação

A Lei Brasileira de Inclusão (LBI) e a Lei de Cotas são as principais legislações quando o assunto é acessibilidade. Elas determinam que todas as empresas com mais de 100 funcionários devam disponibilizar entre 2% e 5% de seus postos para pessoas com deficiência trabalharem.

Essas leis ainda preveem normas específicas de adequação de diversas formas de ambientes para que eles sejam preparados para receber profissionais com mobilidade reduzida ou com deficiência em suas instalações.

Quando uma organização não cumpre essas legislações, pode receber multas (Portaria ME Nº 9 de 15 de janeiro de 2019). E essas punições podem atingir em cheio a sua saúde financeira. Elas são definidas em juízo de acordo com o tipo de infração que a empresa cometeu, levando a danos ou prejuízos para as Pessoas com Deficiência (PCD).

Implementando a acessibilidade em uma empresa

Não há dúvidas de que organizações que oferecem acessibilidade acabam transmitindo uma imagem para o seu público de acolhimento e de que ela se importa com todos. Isso contribui e muito para uma visão positiva da companhia.

Mas como implementar um programa de acessibilidade em uma empresa? Vamos às dicas:

1. Adaptações nas instalações da empresa:

Não há dúvidas de que é preciso fazer adaptações no ambiente físico de uma empresa para que ela possa receber melhor um PCD. Se a ideia é mostrar que todos são bem-vindos na companhia, é preciso assegurar que todos tenham acesso às instalações sem barreiras físicas para circular pela área. Sendo assim, é preciso implantar os seguintes pontos:

· Criar projetos de acessibilidade (guias, corrimões, alavancas, rampas etc.);

· Ter ferramentas de ajuste de ambiente, como iluminação e ar-condicionado;

· Investir em tecnologias acessíveis, como softwares de leitura de tela.

2. Identificar a aceitação dos colaboradores:

Para que o processo de acessibilidade em uma empresa esteja completo, se faz necessário que se estabeleça boas relações entre os colaboradores e os PCDs. Pode ser que aconteça de algum funcionário se mostrar mais resistente quanto à possibilidade de pessoas com deficiências fazerem parte da equipe. Isso deve ser mapeado e sanado rapidamente pelo setor de RH.

3. Criar atividades de sensibilização:

É necessário que todo o time aprenda a lidar com o que é novo e compreenda que PCDs não são pessoas dependentes. Elas apenas necessitam de condições diferentes de acessibilidade.

Um ponto fundamental para formar relações que permitam a inclusão no ambiente de trabalho é o treinamento. As organizações e os colaboradores precisarão se adaptar à reestruturação de processos operacionais e à execução de algumas tarefas, para que PCDs tenham uma acessibilidade real e consigam lidar melhor com a nova rotina de trabalho.

Gostou do artigo? Somos uma empresa que atua no setor de Recrutamento e Seleção, Mão de Obra Terceirizada e Temporária. Temos atendimento personalizado e serviços customizados. Visite nosso site e entre em contato para solicitar um orçamento ou saber um pouco mais sobre nossos serviços.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *