Blog

Dicas, artigos e muito mais

Quais são as formas de recrutamento e seleção mais utilizadas?

As organizações, na atualidade, encaram o recrutamento como um caminho para afirmar sua identidade institucional. Essa busca faz com que os processos de seleção sejam menos padronizados e mais diversificados.

Por isso, resolvemos, nesta publicação, abordar as principais formas de recrutamento. Confira!

AS 5 FORMAS DE RECRUTAMENTO MAIS UTILIZADAS

1.) POR MEIO DE AGÊNCIAS DE RECRUTAMENTO

As agências de recrutamento podem ser grandes aliadas na busca das organizações por mão de obra qualificada. Não à toa, colocamos esse modelo de recrutamento no topo de nossa lista, considerando tal opção a mais completa dentre todas.

Isso porque o processo de recrutamento por meio de agências, em relação a outras possibilidades, tem a vantagem de levar à organização candidatos preparados e que se encaixam no perfil do cargo.

As agências realizam uma filtragem profissional, baseada em métodos técnicos e comprovados, otimizando o nível da seleção. As organizações, portanto, recorrem frequentemente a essa forma de recrutamento porque ela garante uma disputa com profissionais qualificados e alinhados aos princípios do contratante.

2.) BANCO PARTICULAR DE CURRÍCULOS

É comum encontrarmos em site de organizações a seção “Trabalhe Conosco”. Em geral, esse ícone leva para outra página na qual o candidato pode deixar o seu currículo.

Trata-se de um modelo cada vez mais utilizado, pois apresenta uma amostragem muito vasta de profissionais interessados. Bem como o recrutamento interno, essa forma de seleção é rápida e econômica.

Entretanto, ela também apresenta riscos: com os currículos são recolhidos permanentemente, há grande chance de muitos desses currículos estarem desatualizados.

Pela rapidez e praticidade, é um modelo muito utilizado em processos de terceirização e para empregos temporários.

3.) PARCERIAS COM UNIVERSIDADES E ESCOLAS TÉCNICAS

Essa prática é ideal para renovar a mão de obra de uma organização, ampliando as chances de descobrir talentos antes da concorrência. Por isso, tais parcerias são firmadas, geralmente, para vagas de estágio, trainee e nível júnior.

Arrojado é o termo que melhor define esse modelo de seleção: há sempre a possibilidade de descobrir um grande talento, mas há também o risco de contratar alguém que não tem vasta experiência profissional.

4.) POR REDES SOCIAIS

As redes sociais se tornaram uma aliada das organizações, inclusive para seleção de mão de obra. Muitas utilizam plataformas como Facebook, Twitter e Instagram para divulgar vagas.

Como esses processos seletivos são divulgados em páginas direcionadas, esse modelo de recrutamento tem sempre a vantagem de filtrar profissionais que já se relacionam com a área.

Além disso, o LinkedIn vem sendo outra ferramenta muito bem utilizada. Por ser uma rede social já voltada ao meio corporativo, é possível visitar os perfis antes de seguir em frente com o processo de seleção.

5.) RECRUTAMENTO INTERNO

O recrutamento interno está longe de ser uma prática nova e, de fato, há motivos para a longevidade desse modelo.

Por ser uma forma de seleção que busca no próprio quadro de funcionários da organização o profissional para assumir determinado cargo, é natural que o resultado apresente perfis já conhecidos e que conhecem bem o funcionamento da empresa.

Além de ser um modelo com menos riscos – já que a atuação de quem é contratado já é conhecida –, a seleção interna tem baixo custo, pois não é necessário abrir uma campanha de recrutamento.

Mas, se por um lado, essa forma de seleção apresenta menos riscos, por outro lado, ela é inadequada para organizações que buscam promover mudanças e inovações.

Gostou da publicação? Então clique aqui e veja outros conteúdos nossos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.